Serendipity

The laws of chance, strange as it seems,
Take us exactly where we most likely need to be
[David Byrne]

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Freud - prós e contras - parte 1

Recentemente, um dos nossos professores alertou-nos para o perigo de sermos seduzidos pelas ideias de Freud, sugerindo que fizessemos uma análise crítica e racional às bases da sua construção teórica.

Aquele docente não põe em causa a genialidade do homem mas aponta a impossibilidade da demonstração científica de muitos dos seus conceitos, a começar pelo celebérrimo inconsciente.

Desde então, tenho andado numa luta para tentar trocar as voltas ao encanto que aquele famoso psicanalista me provoca. De facto, é difícil não nos apaixonarmos por homens que pensam assim:

“Dizer a verdade cura: esta é a convicção profundamente optimista de Freud. Cura, não porque permanece presente e constantemente exposta, mas porque, uma vez libertada do inconsciente, sistema repetitivo, incapaz do esquecimento, pode entrar novamente no jogo do tempo, onde se esquece e se apaga. A ilusão nunca é preferível à verdade, porque a questão, que por detrás dela se esconde, não deixará de se pôr indirectamente até ter sido enunciada e denunciada nas palavras. Trazer a verdade à palavra é, para a psicanálise, a liberdade.”

Excerto do livro Introdução à psicanálise de Freud de Michel Haar (Edições 70).

2 Comments:

Anonymous Rita said...

Parabéns Meg ! Pela coragem de voltar a estudar e ainda por cima psicologia, coisa que me está "atravessada" há tantos anos....Pelo menos desde que o meu professor de Filosofia , do liceu, me ter dito no meio de uma das muitas discussões que tinhamos (era no final dos conturbados anos 70) "tu nunca vais poder tirar o curso de Psicologia enquanto acreditares em Deus" ...Nem sei como, sendo como sou, acabei por não tirar Psicologia e ir por caminhos bem diferentes.
Agora Meg, umas perguntas práticas que não sei se poderás responder, em que faculdade andas? É á noite? Para conseguires conciliar com o trabalho, deve ser.
Bom, se puderes responder agradeço.
um beijinho e boa sorte
Rita

11:47 da manhã  
Blogger Meg said...

Obrigada, Rita.

Ando numa das faculdades de Psicologia de Lisboa. À noite, claro.

Se te apetece muito tirar o curso, arrisca. Tenho vindo a perceber que a motivação nos leva a conseguir conciliar tudo o que é preciso para fazer o que realmente queremos.

Um abraço.

1:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home