Serendipity

The laws of chance, strange as it seems,
Take us exactly where we most likely need to be
[David Byrne]

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Sobre o processo de selecção

Para avaliar um qualquer elemento do sexo masculino, tendo em vista a eventual concretização de um relacionamento amoroso, as mulheres costumam confrontar o exemplar em análise com uma lista pessoal de critérios para decidir se o levam (ou não) a uma segunda entrevista.

Pelo que tenho constatado, estas listas costumam conter imensos items, alguns mais óbvios que outros, e são objecto de actualização regular, de acordo com a experiência entretanto adquirida.

Entre amigas, é hábito efectuar extensos estudos comparativos sobre as ditas listas e alguns dos pontos sempre muito discutidos, são os seguintes:

I. A idade

a) Ele não pode ser mais novo do que eu;

b) Ele não pode ser mais velho do que eu;

c) Quero lá saber da idade dele.

II. A altura

a) Ele tem de ser mais alto do que eu;

b) Ele não pode ser mais baixo do que eu (atenção aos saltos);

c) O tamanho não interessa nada.

III. O dinheiro

a) Ele tem de ser mais rico do que eu;

b) Ele não pode ganhar muito menos do que eu;

c) A paixão paga as contas.

IV. O estado civil

a) Solteiros, divorciados e viúvos (as namoradas contam ou não contam?);

b) Casados, jamais em tempo algum;

c) O amor não se compadece com estados civis.

V. O carro

a) É indispensável (um homem sem carro é esquisito);

b) Aceita-se sem carro mas com carta de condução;

c) Para quê? Eu tenho.

VI. A apresentação

a) Uma nódoa na roupa é suficiente para invalidar a candidatura;

b) O risco preto da unha põe fim ao devaneio;

c) O grau de exigência é avaliado caso a caso.

VI. As origens

a) Custa-me reconhecer mas não lido bem com a diferença;

b) O príncipe encantado pode ter marca branca;

c) A questão nem sequer se coloca.

VII. O QI

a) Imprescindível;

b) Pode ser substituído por outro tipo de atributos;

c) O intelectual é um chato.

VII. Os filhos

a) Tanto faz;

b) Se não os tivesse, era melhor;

c) Com prole, nem pensar.

And so on...

2 Comments:

Anonymous Bix said...

O Humor tb é um critério fundamental...

10:50 da tarde  
Blogger Sam said...

Dating is pressure and tension. What is a date, really, but a job interview that lasts all night?
The only difference between a date and a job interview is that in not many job interviews is there a chance you'll end up naked at the end of it. "Well, Bill, the boss thinks you're the man for the job. Why don't you strip down and meet some of the people you'll be working with?"

[O Seinfeld]

4:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home