Serendipity

The laws of chance, strange as it seems,
Take us exactly where we most likely need to be
[David Byrne]

sexta-feira, 29 de setembro de 2006

Sobre a disciplina 4

Sempre associei a disciplina à submissão, à rotina e à falta de originalidade. Até há bem pouco tempo, não só não retirava nada de positivo deste conceito como até tinha uma certa vaidade na minha rebeldia emocional.

Só agora entendo que o acatamento voluntário de regras pressupõe um exercício fundamental de autocontrolo, revelador de maturidade e saúde psíquica.

Só agora entendo que nem tudo o que é valioso na vida é feito de arrebatamentos ou drama e que não é preciso pôr tudo em causa a toda a hora para sermos verdadeiros connosco e com os outros.

Só agora entendo que há certas realidades que apenas se revelam quando conseguimos esperar e gerir a nossa dor sem deitar tudo a perder.

Sinto que nestes últimos três anos mudei muito, talvez para melhor. Contudo, não deixa de ser irónico o facto destes princípios não me terem conduzido aos resultados pretendidos, a não ser que o insucesso actual se deva ao facto de ainda só me encontrar a meio caminho.

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Claro que foi para melhor!
A meio caminho já não é nada mau...

8:42 da tarde  
Blogger Meg said...

Obrigada mas o "nada mau" não serve. É preciso andar mais e chegar lá.

10:52 da manhã  
Blogger O Embalador de Codornizes said...

Ainda nem começaste!

Aproveita que eu vou embalar umas codornizes para dar sorte.

Boa Sorte

12:36 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home