Serendipity

The laws of chance, strange as it seems,
Take us exactly where we most likely need to be
[David Byrne]

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Cuidado com os efeitos do condicionamento clássico

Já vos aconteceu certamente nunca mais conseguirem ouvir uma música que adoram sem a relacionarem com uma cena ou alguém da vossa vida.

Tudo corre bem quando o momento foi agradável ou quando se quis dar à pessoa de quem nos lembramos, o estatuto de inesquecível.

A coisa piora se, no calor da ilusão, tivermos feito o erro de oferecer uma das nossas canções de sempre a uma pseudo relação que não passou de um equívoco.

É que o dito equívoco até pode nem ter sido fatal. Felizmente, acordámos cedo e, sem precisar de limpar a remela, colocámos o indispensável par de patins nos pés do indivíduo. No entanto, sempre que começamos a ouvir a tal canção, emergem memórias que não valem três tostões e que nos estragam o insubstituível prazer de a ouvir.

Eu cometi esta imprudência com o "Every time we say goodbye" da Ella Fitzgerald, um dos meus temas e cantoras favoritas. Foi terrível: precisei de um ano para dissociá-la (qual cão de Pavlov) daquele episódio irrelevante da minha vida sentimental.

3 Comments:

Anonymous Rita said...

É tão verdade ! Mas comigo o pior são os cheiros. Quando é nos perfumes podemos controlar,é como nas músicas. Mas o cheiro próprio das coisas? Das cidades, dos sitios , das pessoas, das comidas, das roupas, dos verões , dos invernos...esses ficam para sempre associados.

2:06 da tarde  
Blogger Maria Velho said...

Pois é! Condicionamentos à parte porque não tenta uma emersão, prevenindo(claro está!) situações de evitamento e fuga?
Com o cão de Pavlov parece que resultava e com alguns seres humanos também!
e diga-se que uma emersão é sempre preferível a um contra-condicionamento com uma música do(como se chama???), daquele, o que agora faz imenso sucesso aqui no burgo!?...bem é melhor tentar mesmo uma nova relação mais gratificante e não ouvir música durante!

11:07 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não tem, directamente, a ver com a temática (além do que, estou certa de que haverá boas recordações da nossa história, a qual, aliás, não é do foro amoroso), mas só para dizer que, às vezes,lembro-me de ti e que hoje (num pulo!) vim espreitar o blog e resolvi deixar esta mensagem...
Também estou a trabalhar na Baixa e o meu número é o 916513199...

5:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home